Notícias Gerais

Os homens costumam procurar mais o médico – são dois em cada dez – e a região Centro-Oeste é campeã de casos: sete em dez moradores apresentam alterações na pele. E cuidar dela não é questão de vaidade ou estética, mas de saúde.

Médicos explicam que não se deve espremer cravos e espinhas em casa, apenas no consultório ou com profissional especializado. Apertar uma região inflamada sem o devido cuidado pode ser perigoso, por espalhar bactérias para uma área maior. Os micro-organismos das mãos e unhas podem contaminar a pele e o sangue se um vaso se romper.

Clima, alterações hormonais na adolescência, tendências individuais e até ansiedade antes de eventos importantes podem causar o problema. Quanto aos alimentos, nenhuma pesquisa ainda conseguiu provar que têm a capacidade de agravar esse distúrbio. O recomendado é prestar atenção nos produtos que podem desencadear uma reação e evitá-los.

Mais lidas

Filtrar por data